5ª Conferência de bem estar animal discute influências da questão geográfica na Baixada

28/11/2015

 

Discutir como Santos pode enfrentar o desafio de receber animais de outras cidades, que são abandonados ou trazidos para tratamento foi a tônica da 5ª Conferência Municipal de Proteção e Bem Estar Animal, realizada no sábado (28), na Unimonte, sob o tema ‘Influências da Questão Geográfica da Baixada Santista no Bem Estar Animal’. O evento foi organizado pelo Conselho Municipal para Proteção à Vida Animal (Comvida).

A presidente do órgão, Denise Rosas Augusto, destacou a importância de conscientizar os outros municípios para que criem políticas públicas para atender seus cães e gatos, bem como campanhas educativas sobre posse responsável e maior controle populacional. “Vamos estudar medidas como educação nas escolas para que, desde pequenas, as crianças tenham conhecimento e multipliquem as informações”. Ela disse que quinzenalmente, no Gonzaga, a prefeitura faz feira para adoção de bichinhos, já castrados e microchipados.

A secretária de Meio Ambiente, Débora Blanco, afirmou que as conferências são fundamentais para debate de questões emergenciais e visando ao futuro.”Precisamos disseminar o valor e a relevância que a vida animal tem para o ser humano, no aspecto emocional e de saúde pública”.

Ela destacou o trabalho feito na Coordenadoria de Proteção à Vida Animal (Codevida), no Aquário, Jardim Botânico e Orquidário, explicando que, em Santos, o Centro de Controle de Zoonoses é ligado à Secretaria Municipal de Saúde. “É a única cidade do Brasil que separa centro de zoonoses do órgão de bem estar animal. Além disso, há vasta legislação”, frisou o vereador Benedito Furtado (PSB), que luta pela causa. Ele informou que o tema sobre os animais trazidos para cá, de outras cidades sem a mesma rede de atendimento, foi inserido pelo presidente do Condesb (Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista), prefeito Paulo Alexandre Barbosa. “Juntamente com uma frente parlamentar de 24 vereadores da região, buscamos recursos do governo do Estado para adquirir dois castramóveis para a Baixada. Santos já possui dois”. Onze propostas elaboradas em pré-conferências que precederam o evento, igualmente foram discutidas pelos presentes, incluindo a presidente da ONG Defesa da Vida Animal (DVA), Marília Asevedo Moreira.

 

Fonte:http://www.santos.sp.gov.br/?q=noticia/890132/5-confer-ncia-de-bem-estar-animal-discute-influ-ncias-da-quest-o-geogr-fica-na