ONU realiza conferência internacional para arrecadar fundos para a Síria

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rádio ONU                                                                                 31/03/15 10h09

 

Começa nesta terça-feira, no Kuwait, a 3ª Conferência Humanitária Internacional para a Síria com o objetivo de arrecadar fundos para o país.

 

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, participa do encontro, assim como outros representantes da organização e suas agências. A chefe do Escritório das Nações Unidas de Assistência Humanitária, Ocha, disse que "a situação é muito grave".

 

Selvageria

Em entrevista à Rádio ONU, Valerie Amos, afirmou que a situação da Síria está "ficando muito pior" e que "esta é uma crise caracterizada por níveis de selvageria que preocupam a todos".

 

Segundo a subsecretária-geral para Assuntos Humanitários, ao mesmo tempo que se está conseguindo mais ajuda em operações entre fronteiras, há uma redução da habilidade de levar ajuda através das linhas de conflito dentro da Síria.

 

Refugiados

O confronto no país completou quatro anos e segundo o Ocha, 12,2 milhões de pessoas continuam precisando de assistência.

 

Quase metade de todos os sírios foram forçados a deixar suas casas. Cerca de 3,8 milhões fugiram para o Líbano, Jordânia, Turquia, Iraque e Egito e 7,6 milhões foram deslocados internamente. De acordo com o Ocha, está é a maior crise de deslocamento do mundo.

 

Valerie Amos agradeceu aos doadores e declarou que apesar do valor doado estar crescendo, não está subindo no mesmo ritmo das necessidades.

 

Recursos

A chefe do Ocha disse que nos últimos dois anos, conferências de doadores tiveram contribuição significativa nos valores necessários para a Síria e países vizinhos.

 

No ano passado, por exemplo, 90% do dinheiro prometido foi recebido. Ela disse esperar que os países participantes da conferência prometam doações de forma generosa.

 

No entanto, segundo Amos,  "as necessidades estão crescendo não só na Síria e em países vizinhos, como ao redor do mundo", mencionando ainda a crise no Iêmen.

 

Além do secretário-geral e da chefe do Ocha também participam da conferência o alto comissário da ONU para Refugiados, Antonio Guterres, a chefe do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, Helen Clark e a diretora-executiva do Programa Mundial de Alimentos, PMA, Ertharin Cousin.