Batatais decreta lockdown até o fim do mês

Restrições são por causa do colapso do sistema de saúde

 

Por Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil - São Paulo

A prefeitura de Batatais, município com cerca de 63 mil habitantes no interior paulista, decretou lockdown, com fechamento de todas as atividades econômicas, toque de recolher e interrupção do transporte público para conter a disseminação do coronavírus. O decreto municipal com as restrições foi editado na quinta-feira (13) e entrou em vigor no sábado (15). As medidas devem valer até o dia 31 de maio.

Segundo o prefeito de Batatais, Juninho Gaspar, a decisão foi tomada a partir do colapso do sistema de saúde pública do município. “Os profissionais de saúde estão no seu limite”, disse o prefeito, acrescentando que há dificuldades para comprar medicamentos para sedação e manter o fornecimento de oxigênio nos hospitais. O prefeito disse ainda que já pediu mais recursos ao governo estadual para socorrer o sistema de saúde.

Contaminação e mortes

Ontem (16), de acordo com a prefeitura, 18 pacientes com a covid-19 aguardavam vagas em hospitais e unidades de pronto atendimento. O balanço divulgado hoje pela administração municipal mostra que já foram confirmados 859 casos de coronavírus em maio, com 19 mortes. O número supera os 815 contaminados em todo o mês de abril, quando ocorreram 21 mortes pela doença. Desde o início da pandemia, já foram confirmados na cidade 4,7 mil casos da covid-19, matando 107 pessoas.

Restrições

Mesmo entre as atividades consideradas essenciais, o funcionamento será restrito. Os supermercados só vão atender presencialmente durante o dia de hoje. A partir de amanhã (18), as compras só poderão ser realizadas em sistema de entrega em domicílio. Podem permanecer abertas as farmácias (em horário normal) e os postos de gasolina (das 6h às 20h). Agências bancárias fecham ao público, mas podem funcionar internamente com até 20% dos funcionários.

Padarias, açougues, distribuidores de gás, restaurantes, lanchonetes e pet shops também podem atender com entregas em domicílio, mas portas fechadas ao público. Escolas públicas ou privadas só podem ter aulas remotas. Todos os serviços e comércio devem permanecer fechados, incluindo igrejas, escritórios e profissionais liberais, como pedreiros e pintores. Os hotéis não podem receber novos hóspedes.

Foi estabelecido o toque de recolher das 20h às 5h. A fiscalização do cumprimento das normas será da Vigilância Sanitária Municipal e da Guarda Civil Municipal, com apoio das polícias Civil e Militar.

 

Edição: Fernando Fraga

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil